setembro 07, 2011

Dilma atropela a IV Conferência Nacional de Saúde Mental e investe em "comunidades terapêuticas" para tratamento de álcool e outras drogas

PICICA: Aos 7'11'' do pronunciamento feito à nação na noite de ontem, a presidente Dilma Rousseff resolveu entregar a "rapadura" do tratamento de usuários abusadores de álcool e outras drogas para as comunidades terapêuticas, conforme se vê no vídeo abaixo, que só hoje o PICICA teve acesso. Macacos me mordam se isso não é uma privatização branda, desses que o Estado de S. Paulo vem oferecendo! Ao contrário do que querem os movimentos sociais. Essas comunidades disseminaram-se pelo país inteiro à sombra dos precários investimentos no setor, em oito anos do governo petista. Em sua ampla maioria, funcionam irregularmente. O movimento por uma reforma psiquiátrica antimanicomial já vinha suspeitando que essa história não ia acabar bem, quando viu o governo federal apressar-se em flexibilizar o modo de funcionamento das referidas comunidades. Ainda que as regras de funcionamento sejam competência da ANVISA, vai ser difícil a Coordenação Nacional de Saúde Mental esclarecer porque ela não foi consultada. Pressão da mídia e do conservadorismo das igrejas, sobretudo evangélicas; deu-se a melódia. Nada melhor, para um governo acuado, do que usar a estrutura capenga das comunidades terapêuticas para reduzir as tensões. Afinal, com a mídia tratando o abuso de drogas como uma epidemia (já vimos outras epidemias sendo fabricadas), é melhor ter equipes precárias do que não ter nenhuma ou poucas equipes qualificadas, como é o caso da realidade em todos os estados brasileiros. O movimento social, com ou sem o apoio da mídia, vai querer saber entre outras coisas como é que fica a prática do acolhimento compulsório (outra medida para a qual a Coordenação Nacional de Saúde Mental também não foi consultada), já que é princípio ético das comunidades não trabalhar com esse tipo de prática, posto que toda internação tem o caráter voluntário. Entre muitas dúvidas e incertezas abertas com esse tipo de privatização branda, o certo é que o companheiro Roberto Tykanori (atual Coordenador) e sua brava equipe não merecia essa prova de fogo a que está sendo submetida sua administração, que mal começou. Os usuários também mereciam um outro tipo de tratamento, em que seus direitos de cidadão não fossem desrespeitados. Sobre a IV Conferência Nacional de Saúde Mental (2009), a plenária, soberanamente, decidiu que nenhum investimento deva ser feito em estruturas que não pertençam ao SUS. É o caso.

Um comentário:

Paulinho Legal disse...

A presidenta Dilma está agindo como uma criminosa 171, favorecer igrejas e religiões em um estado laico que presa pela liberdade religiosa é um crime de favorecimento.

Além do mais, os Cristãos agem como se fossem a verdade e a Bíblia não passa de um livro escrito pelo homem, em que o velho testamento revala a mitologia hebraica que foi imposta ao cristianismo, ao islamismo e ao próprio judaísmo.

Nínguém é obrigado a aceitar a bíblia com verdade, e virar um débil mental que vai se sentir culpado o resto da vida por dar um tapa na pantera.

Ser amigo das comunidades terapêuticas é ser amigo do Bento XVI. Ser amigo do papa é ser amigo da pedofilia. Ser amigo da pedofilia é ser cúmplice do advogado da pedofilia.

O papa, ao invés de querer impor sua mente à humanidade, deveria ser mais realista e menos moralista e cuidar de liberar o casamento para padres e madres e também aprender a respeitar a diversidade e os direitos sexuais.

PAU NO CÚ DA DILMA.