novembro 30, 2008

Francis Albert Sinatra
Jazzófilos(as),

Depois de um breve recesso, durante o qual o nosso programa recebeu o valioso apoio do amigo HDias que com todo peso de seu talento e paixão pela música não deixou que a nossa chama de jazz aos domingos se extinguisse, voltamos com todo gás, com todo jazz!!! Obrigado HDias!!!!!!

Hoje, como de costume desde maio de 1998, neste último programa "Momentos de Jazz" do mês de novembro, a partir das 20h00 (horário de Manaus) pelas ondas da Radio Amazonas Jazz FM - 101,5 - iremos homenagear o senhor da canções, The Voice, Francis Albert Sinatra.

Destacaremos o cd natalino "The Sinatra Family Wish You a Merry Christmas" que gravou em companhia com os filhos Frank Jr., Nancy e Tina. Neste trabalho os rebentos também cantam separadamente, inclusive Tina, que sempre se mostrou muito recatada em relação a qualquer manifestação artística.

No cd "A Jolly Christmas from Frank Sinatra" o grande interprete desenvolve com grande carga emocional as mais populares canções e "carols" natalinos repletas com o sentimento de fraternidade que eleva a cada ano nesta época, os desejos de paz e harmonia entre os homens.

Raríssimas gravações originais remasterizadas, contidas nos cds "Sinatra Classics and Standards" e "The Song is You" onde ele canta em italiano Torna a Sorriento, também serão compartilhadas com os ouvintes apreciadores da voz e do inquestionável legado musical de Franlk Sinatra.

Aguardo vocês!!

Até Jazz!!!!

Humberto Amorim

Nota do blog: Domingo passado o programa foi ao ar com o piloto automático. Humberto navegava pelos United States of America. Nada melhor do que tê-lo entre nós. Seja bem-vindo, querido amigo.
Posted by Picasa

Partidos, governo e os equívocos sobre o SUS

BLOG do cebes

Partidos, governo e os equívocos sobre o SUS

17/11/2008 12h40

Por Sonia Fleury*

(*) Sonia Fleury é doutora em Ciência Política, Presidente do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde – Cebes, Professora Titular da EBAPE/FGV.

As eleições municipais em 2008 trouxeram à tona a importância da atenção à saúde para a população brasileira, mais especialmente, a enorme preocupação com as dificuldades de acesso a serviços, exames, medicamentos e também com a falta de qualidade e efetividade de alguns serviços prestados pelo SUS. Impossível desconhecer os dramas cotidianos pelos quais passam pacientes e familiares e, fundamentalmente, a insegurança da maioria da população em relação à garantia efetiva de uma atenção integral, que realize o direito à saúde que foi garantido na Constituição de 1988.

Esta insegurança tem fundamentos concretos em vários municípios brasileiros, cuja implantação do SUS se deu de forma imperfeita e truncada, mas também é fruto da ausência de informações sobre milhões de pessoas que, anualmente, são atendidas em todo o país em serviços da mais simples a mais alta complexidade. Só para tomar um exemplo, a mídia passou dias noticiando o drama no qual terminou sendo morta a adolescente Eloá em São Paulo, mas, em nenhum momento, se referiu que todos os transplantes dos seus órgãos doados pela família foram realizados pelo sistema público, por equipes altamente especializadas, para pacientes que esperavam em uma fila pelo seu direito.

Esta permanente e parcial exposição das mazelas do sistema de saúde tem um efeito importante de denuncia de situações intoleráveis que devem ser eliminadas para permitir o pleno exercício do direito à saúde, mas, por outro lado, terminam identificando o SUS com aquilo que é a sua ausência ou com a precariedade das condições de seu funcionamento seja por falta de condições financeiras, materiais ou de gestão adequadas.

Outra conseqüência tem sido política, ou seja, afeta a relação do governo e dos partidos políticos com o SUS. Se, por um lado, os partidos da base governista sempre disputaram com ardor a direção dos órgãos e serviços da saúde, eles têm sido totalmente omissos na defesa do SUS, como política pública. Haja vista a quase total ausência de celebrações por parte dos governos – nacional, estaduais e municipais – na celebração dos 20 anos do SUS, uma dos baluartes da inclusão social da nossa recente democracia.

Diante desta conjuntura é importante observar, em uma rápida coleta de dados na imprensa, como diferentes Partidos Políticos estão se posicionando em relação à política de saúde e quais as conseqüências deste posicionamento para o SUS.

Leia mais em Blog do Cebes
Posted by Picasa

Por que o Amazonas é o maior rio do planeta?

Foto: Wikimedia Commons - Barco nevega pelo rio Amazonas, o mais longo do planeta
REVISTA CHC 196 :: NOVEMBRO DE 2008

Por que o Amazonas é o maior rio do planeta?

Mais longo do que o Nilo, Amazonas tem 6.992 quilômetros de extensão.



O mais longo rio do mundo. Assim costuma ser apresentado o rio Nilo. O Amazonas, por sua vez, geralmente é definido como o maior rio em volume de água transportada do planeta. Você sabia, porém, que, recentemente, mostrou-se que o Amazonas – e não o Nilo – deveria ficar com o título de “o mais longo rio da Terra”?

Leia mais em Ciência Hoje das Crianças
Posted by Picasa

Anotação instigante de Lima Barreto no Diário do Hospício

"Coluna do Edmar"

ANOTAÇÃO INSTIGANTE DE LIMA BARRETO NO DIÁRIO DO HOSPÍCIO

Jurandir Freire Costa, psicanalista, escritor e intelectual de nossas letras, num antigo trabalho de pesquisa, disseca a "Liga Brasileira de Higiene Mental", movimento eugênico da psiquiatria brasileira atrelado ao nazismo europeu antes da Segunda Guerra (ver "História da Psiquiatria no Brasil" Ed. Documentário, RJ, l976). Nesse trabalho desenterra um texto significativo do psiquiatra Henrique Roxo (1877-1969). O alienista dos anos vinte e trinta do século passado, preocupado em disseminar as idéias eugênicas entre nós, faz uma afronta, mesmo ao conhecimento científico de então, apenas para afirmar sua tese em que pregava a inferioridade racial dos negros. Dizia o texto de Henrique Roxo, garimpado por Jurandir: "Não é a constituição física do preto, a sua cor escura que lhe marcam o ferrete da inferioridade. É a evolução que não se deu. Ficaram retardatários. Ao passo que os brancos iam transmitindo um cérebro em que as dobras de passagem mais se aprimoravam, em que os neurônios tinham uma atividade mais apurada, os negros que indolentemente se furtaram à emigração, em que a concorrência psíquica era nula, levam a seus dependentes um cérebro pouco afeito ao trabalho, um órgão que de grandes esforços não era capaz".

Meu Deus! Quanta deturpação da ciência em nome da política. O que estava por trás era o racismo desavergonhado de então. Releia o texto para realçar a deformidade que o racismo impunha ao que se chamava de ciência. Atenção para afirmações inteiramente falsas sobre anatomia para afirmar o racismo. E tem mais, vocifera Henrique Roxo, pregando abertamente a aculturação e subordinação racial: "Suponhamos(...) que um negro com esta má tara hereditária se transportasse para um centro adiantado e que com sua congênere viesse a ter descendência. Imaginemos (...) que esta fosse pouco a pouco progredindo e que de pai a filho se fosse legando cada vez mais um cérebro exercitado, ativo. Dentro de um certo número de descendentes chegaria, finalmente, um cérebro tão evoluído quanto de um branco. Seria tão inteligente quanto este". Mas porque fui buscar tal despautério de um psiquiatra do começo do século passado, hoje sabidamente ultrapassado nos seus conhecimentos? (Apesar de um auditório do Instituto de Psiquiatria da antiga Universidade do Brasil – atual UFRJ –, berço do conhecimento acadêmico, levar seu nome. E vários hospitais psiquiátricos pelo Brasil).

Primeiro, porque é muito bom que saibamos que o fascismo, o nazismo e o racismo estiveram entre nós e sempre tentam um retorno, mesmo por linhas tortas. Nos deixa vigilantes contra um pseudo-saber que, vez por outra, nos apresentam. Com a certeza do Henrique Roxo nos falam agora da droga da felicidade, de mapeamentos cerebrais e outras bobagens. Mas não é disso aqui que falo hoje.

Vou buscar uma instigante anotação do velho Lima Barreto no Diário do Hospício. Internado como maluco Lima Barreto guardava a análise do seu tempo muito intacta. E se é um absurdo tomarmos conhecimento das declarações estapafúrdias do Henrique Roxo, é com um enorme prazer escutar Lima Barreto afirmar nas anotações do seu Diário do Hospício: "Tinha que ser examinado pelo Henrique Roxo. Há quatro anos, nós nos conhecemos. É bem curioso esse Roxo. Ele parece estudioso, inteligente, honesto; mas não sei porque não simpatizo com ele. Ele me parece desses médicos brasileiros imbuídos de um ar de certeza de sua arte, desdenhando inteiramente toda a outra atividade intelectual que não a sua e pouco capaz de examinar o fato em si. Acho-o muito livresco e pouco interessado em descobrir, em levantar um pouco o véu de mistério – e que mistério! – que há na especialidade que professa. Lê os livros da Europa, dos Estados Unidos, talvez; mas não lê a natureza. Não tenho por ele antipatia; mas nada me atrai a ele".

Acertou de novo o mulato! E que acerto! Botando na insignificância um baluarte da ciência da época, que no futuro seria descoberto como equivocado, senão mal-intencionado. Sem fazer qualquer concessão aos poderosos de sua época da laia do Dr. Henrique Roxo. Por pura convicção e não por ressentimento. O Henrique Roxo era o psiquiatra. Lima Barreto, o maluco. Naquela época. Mas observem a lucidez e o acerto do Lima quando escrevia, senão para sua época, para o futuro! Se a época não queria ouvir os acertos de Lima, seus escritos seriam reconhecidos no futuro. Um pequeno comentário que, se transformado em romance, não seria reconhecido àquele tempo, hoje é um acerto monumental a um pensamento anacrônico no futuro. E Lima estava já tão certo que não cabia em seu tempo...

Edmar Oliveira - 25/11/2008

Fonte: Casa Lima Barreto
Posted by Picasa

Alô São Paulo e adjacências!!!

Cartum - Arion

Ato público pede a abertura dos arquivos militares

Participe do ato público que será realizado nesta segunda feira, 01/12, às 14h, na Assembléia Legislativa, Auditório Teotônio Vilela, 1º andar. A tortura e o desaparecimento de militantes políticos são crimes de lesa humanidade e não passíveis de anistia. Venha manifestar a sua indignação!

Mais informações, acesse o site do Dep. Estadual Adriano Diogo:

http://www.adrianodiogo.com.br/

Posted by Picasa

Mais uma palhaçada

FHC
Oleo do Diabo

Mais uma palhaçada

Posted: 29 Nov 2008 05:30 AM PST

Na falta de assunto, o Globo decidiu acreditar na ladainha do PSDB e iniciou uma campanha ridícula contra a Caixa Econômica Federal e contra a Petrobrás. Não vai dar em nada, porque o empréstimo da Caixa para a Petrobrás, de R$ 2 bilhões, cumpriu as normas da lei. Mas já criou, pelo menos entre os "inocentes do Leblon", um pequeno escândalo e uma grande indignação contra os "aloprados" e "sindicalistas" que tomaram conta das estatais. O que me impressiona é a ousadia do Globo em criticar a gestão da Petrobrás, empresa que vem ganhando diversos prêmios internacionais de gestão, que já está entre as 10 maiores empresas do mundo, entre as três maiores das Américas, de longe a maior da América do Sul. Na época de FHC, havia sido sucateada, o que gerou o afundamento de uma de nossas maiores plataformas. Prejuízo de bilhões, morte de engenheiros. Isso era boa gestão para o Globo e para Arnaldo Jabor, que na época do acidente escreveu diversos artigos defendendo a "gestão" tucana, tentando provar à sociedade que se tratava de uma "fatalidade". Não foi fatalidade. Foi resultado do sucateamento, da terceirização irresponsável, as mesmas causas do buraco do metrô paulista.

Sobre o empréstimo da Caixa à Petrobrás, essa indignação é hipócrita e os jornais estão desinformando as pessoas, como sempre. Porque é uma operação excelente para a Caixa. Todo banco quer emprestar para a Petrobrás. A Caixa não emprestou para a Petrobrás com juro subsidiado. Como banco ganha dinheiro? Ou melhor, como deveria ganhar? Emprestando dinheiro. A Caixa é um banco. Agiu como banco. Para o Globo e para a oposição, os bancos não devem emprestar. Devem segurar o dinheiro. Se o Itaú-Unibanco emprestasse para a Petrobrás, ninguém reclamaria. É saudável que as estatais se relacionem.

Na verdade, o que a oposição fez, com ajuda da mídia, foi um ataque especulativo, com vistas a causar queda nas cotações da Petrobrás. Feito isto, eles, os golpistas, compram as ações e lucrarão milhões.

O empréstimo da Caixa à Petrobrás será benéfico para ambas as empresas e para o povo brasileiro, porque a Petrobrás irá pagar juros à Caixa Econômica, e os lucros irão para o Estado bancar hospitais e universidades.

Continuo minha campanha contra bancos privados. Não tenha conta em banco privado. Os juros são mais altos e a qualquer momento eles podem quebrar (como quebraram nos EUA e na Europa) e irão cobrar a conta na viúva. Bancos privados são uma excrescência medieval. O capitalismo moderno deve ter apenas banco estatal, cuja gestão pode ser controlada pelas instituições democráticas. O capital é muito importante para ficar em mãos de playboys irresponsáveis. O dinheiro tem que circular. O capital deve ir para as empresas e para os indivíduos e não ficar estacionado em cofres de banco.

Acesse http://www.oleododiabo.blogspot.com/
Posted by Picasa

Enlace Zapatista

Enlace Zapatista

Comunicado de la Comisión Sexta y la Comisión Intergaláctica del EZLN a l@s participantes del Festival. En italiano
Posted: 29 Nov 2008 11:26 PM PST
COMUNICATO DEL COMITATO CLANDESTINO RIVOLUZIONARIO INDIGENO-COMANDO GENERALE DELL’ESERCITO ZAPATISTA DI LIBERAZIONE NAZIONALE. MESSICO. Commissione sesta e commissione intergalattica dell’EZLN. 26 novembre 2008. A gli aderenti alla Sesta Dichiarazione della Selva Lacandona in Messico e il mondo: A gli invitati al primo Festival Mondiale della Degna Rabbia: Al popolo di Messico: Ai popoli del mondo: COMPAGNE E COMPAGNI: FRATELLI E SORELLE: IN QUESTA OCCASIONE [...]

Comunicado de la Comisión Sexta y la Comisión Intergaláctica del EZLN a l@s participantes del Festival. En francés
Posted: 29 Nov 2008 11:18 PM PST
COMMUNIQUÉ DU COMITÉ CLANDESTIN RÉVOLUTIONNAIRE INDIGÈNE-COMMANDEMENT GÉNÉRAL DE L’ARMÉE ZAPATISTE DE LIBÉRATION NATIONALE. MEXIQUE. Comission Sexta et Comission Intergalactique de l’EZLN. Le 26 novembre 2008. Aux adhérent-e-s à la Sixième Déclaration de la Selva Lacandona au Mexique et dans le monde: Aux invité-é-s au Premier Festival Mondial de la Digne Rage: Au peuple du Mexique: Aux peuples du Monde: COMPAÑERAS ET COMPAÑEROS: FRÈRES ET [...]

Comunicado de la Comisión Sexta y la Comisión Intergaláctica del EZLN a l@s participantes del Festival. En inglés
Posted: 29 Nov 2008 10:50 PM PST
COMMUNIQUÉ FROM THE INDIGENOUS REVOLUTIONARY CLANDESTINE COMMITTEE—GENERAL COMMAND OF THE ZAPATISTA ARMY FOR NATIONAL LIBERATION MEXICO. Sixth Commission and Intergalactic Commission of the EZLN 26th of November 2008. To the adherents to the Sixth Declaration from the Lacandona Jungle in Mexico and in the world: To the guests of the First World Festival of the “Digna Rabia”: To the people of [...]

Comunicado de la Comisión Sexta y la Comisión Intergaláctica del EZLN a l@s participantes del Festival
Posted: 29 Nov 2008 01:00 PM PST
COMUNICADO DEL COMITÉ CLANDESTINO REVOLUCIONARIO INDÍGENA-COMANDANCIA GENERAL DEL EJÉRCITO ZAPATISTA DE LIBERACIÓN NACIONAL. MÉXICO. Comisión Sexta y Comisión Intergaláctica del EZLN. 26 de Noviembre del 2008. A l@s adherentes a la Sexta Declaración de la Selva Lacandona en México y el Mundo: A l@s invitad@s al Primer Festival Mundial de la Digna Rabia: Al pueblo de México: A los pueblos del Mundo: COMPAÑERAS [...]

El hijo de un militar amenaza a un compañero adherente con ser “levantado”.
Posted: 29 Nov 2008 12:11 PM PST
Informo que fui amenazado con “levantarme” por mi ideología de izquierda (Adherente de la Otra Campaña UAM-Azcapotzalco) el día de ayer 27-11-08 por eso de la media noche en el lobby del Hotel Nikko en Paseo de la Reforma Ciudad de México. La amenaza fue hecha por el Licenciado Marco Aurelio Gómez, hijo del Coronel [...]
Posted by Picasa

PM leva terror à Providência mais uma vez

Foto publicada em
Rede Nacional de
Jornalistas populares


29/11/2008

PM leva terror à Providência mais uma vez


Polícia começa mais um tiroteio e inviabiliza atividade de Hip Hop na Providência. Jovem de 27 anos foi baleada.

Por Jornalistas Populares.


Segundo comunicado da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, neste sábado (29/12) à noite, quando iria se iniciar uma atividade cultural com apresentação de Hip Hop e debate com as mulheres, na quadra da Praça Américo Brum, na favela da Providência, Rio de Janeiro, uma grande quantidade de policiais chegou atirando e apavorando todos. Uma jovem de 27 anos foi baleada e está em estado grave. Os tiros continuam e a situação é de terror. Mais vítimas podem acontecer a qualquer momento.

O Gpae da comunidade, responsável por inúmeros abusos e violações de direitos desde que seu comando foi assumido pelo capitão Zuma, já havia impedido a realização da festa de 112 anos da comunidade no dia 15 de novembro, informa a Rede.

No dia anterior outro tiroteio provocado pela PM colocou em sério risco crianças que brincavam num parque na localidade chamada Vila Portuária. No dia 09 de novembro, duas militantes da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência que se encontravam na favela foram ameaçadas – verbalmente e com tiros em sua direção – por policiais do 2º BPM que lá chegaram em um Caveirão e em várias viaturas. O fato foi denunciado e registrado na 4ª DP.

A Rede tem denunciado todas essas ações da polícia na comunidade, mas até agora nada foi feito. A comunidade há muito tempo exige a retirada de Zuma do Gpae e a apuração de tantas violências.

"Pedimos que essa denúncia seja passada urgentemente a toda a imprensa e órgãos da justiça e de defesa dos direitos humanos", afirma comunicado da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência.

Mais informações com Luzia pelo telefone (21) 9416-3763.

http://www.renajorp.net/
Posted by Picasa

Ajude a manter o Fazendo Media


"Entre os melhores sites
jornalísticos encontra-se o
Fazendo Media" - Fausto
Wolff (Jornal do Brasil,
27/07/06)

Prezados amigos, queridas amigas,

O Fazendo Media precisa da sua ajuda. Como sabem, o ideal era que houvesse políticas públicas que garantissem o exercício do jornalismo independente e a circulação plural de idéias. Mas ao contrário de outros países, no Brasil isto ainda não é uma realidade. Sendo assim, as formas de financiamento da mídia tradicional são essencialmente: publicidade, venda em banca e venda de assinaturas (isso sem contar com esquemas espúrios que inviabilizam o verdadeiro Jornalismo). Nós não temos publicidade, nosso jornal não é vendido nas bancas e as assinaturas são insuficientes para nos manter vivos. Além disso, não abrimos mão do nosso juramento profissional: "A Comunicação é uma missão social. Por isto, juro respeitar o público, combatendo todas as formas de preconceito e discriminação, valorizando os seres humanos em sua singularidade e na luta por sua dignidade".

Sendo assim, recorremos à consciência de cada leitor, de cada amigo e simpatizante do nosso projeto. Faça uma assinatura, dê outra de presente ou faça uma doação de qualquer valor na conta abaixo. Se possível, programe-se para colaborar mensalmente. Infelizmente nossas tentativas de conseguir apoio em sindicatos e associações de esquerda não têm dado resultado. Não estamos conseguindo equilibrar nossas contas. Como da outra vez em que estivemos a ponto de fechar as portas fomos salvos pelos leitores, novamente fazemos este apelo. Com a certeza de que esta é a melhor forma de manter vivo um veículo de comunicação independente e com as características do Fazendo Media.

Sua contribuição pode ser decisiva para a continuidade do nosso trabalho, cujo objetivo final é a democratização dos meios de comunicação no Brasil.

Um grande abraço,
Marcelo Salles

Assinatura:
Um ano (doze edições): R$ 45,00
Dois anos (vinte e quatro edições): R$ 85,00

Conta para depósito:
Caixa Econômica Federal
Agência: 0222
Conta: 3131-2
Operação: 013

A conta está em nome de Mariana Vidal Ramos Freitas


Após o depósito, escreva para assinatura@fazendomedia.com e informe nome, telefone de contato e endereço completo (com CEP) para completar sua assinatura. Entregamos em todo o Brasil pelos Correios.

Acesse http://www.fazendomedia.com/

Posted by Picasa

novembro 29, 2008

Amanhã, domingo, é dia de mudar o Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas

Nota do Blog: Estamos apoiando a CHAPA 3 para o Conselho Regional de Enfermagem. A eleição é amanhã, domingo. Local da votação: Escola Pública situada atrás da Escola Benjamin Constant, na ladeira da Rua Tapajós. Conheça os (as) companheiros(as) que comeram o pão que o diabo amassou, mas conseguiram emplacar a Chapa que vai redimir o COREN.

Acesse o blog http://www.mudeoconselho.blogspot.com/

VOTE CHAPA 3.

Comunicado

Caros colegas,

O Pleito Eleitoral no Sistema COFEN X COREN jamais será o mesmo a partir deste ano de 2008. Nós Profissionais de Enfermagem estamos deixando de lado a apatia política que nos cerca, estamos ávidos de justiça, coerência, lealdade e acima de tudo honestidade, já que isso temos no mínimo obrigação de ser: honestos. Desta forma é necessário endossarmos também o combate a corrupção eleitoral no País e ainda dentro do próprio Sistema COFEN X COREN, lembrando que nosso “voto não tem preço, tem conseqüências” em qualquer circunstância. É necessária conscientização profissional sobre a importância do conhecimento e condução adequada da ética para que possamos passar por um processo eleitoral sem máculas e/ou reservas.

E sim que todo esse processo eleitoral nos alimente de informações que ao longo dos anos nos foi negada, cerceada enquanto profissionais e cidadãos. A Democracia deve existir dentro do próprio Sistema COFEN X COREN, onde defende-se a ética, direito e deveres dos Profissionais de Enfermagem. Lembremo-nos que um Conselho não se faz só de Conselheiros, o Conselho de Enfermagem começa a partir do momento que nos interessamos por ele, por suas realizações, quando se tem coragem o suficiente para defender sua categoria em toda a sua universalidade e ainda colocar-se a disposição de fazer parte de grandes mudanças que todo esse processo nos fará passar.

Colegas VOTAR consciente não é votar no mais popular ou no mais provido de conhecimentos, VOTAR consciente é ter no mínimo direito de VOTAR E SER VOTADO, ter direito de escolha. É construir um Conselho mais atuante e respeitado por todos, inclusive e principalmente por nós. A Democracia dá chance de mudanças e escolhas e tudo isso é extremamente necessário para um crescimento profissional digno. Sendo assim nós que tivemos a coragem de disputar em igualdade lembramos: QUER UM CONSELHO? MUDE O CONSELHO!

Propostas de Campanha

1. AQUISIÇÃO DE UMA NOVA SEDE PARA O COREN-AM
• A aquisição de uma nova sede trará benefícios objetivando a descentralização e desburocratização do COREN-AM.
• Auditório amplo;
• Sala para conselheiros e reunião de comissões;
• Biblioteca com Internet.

2. INTERIORIZAÇAO DO COREN

• Manter profissionais residentes no interior, atualizados com todos os assuntos inerentes à categoria. Congressos, cursos, concursos, resoluções e outras novidades, além de propiciar o intercâmbio com os profissionais de Enfermagem que atuam no interior.

3. ATENDIMENTO PERSONALIZADO

• Personalizar o atendimento aos Profissionais através de uma recepção especialmente projetada para atender as necessidades da categoria, propiciando ao Profissional de Enfermagem um atendimento diferenciado.
• Oferecer atendimento on line.

4. DINAMIZAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO

• Através da realização de campanhas de conscientização das responsabilidades profissionais junto à sociedade, promoveremos a valorização do Profissional de Enfermagem, reorganizando o serviço de fiscalização e criando condições necessárias ao seu perfeito funcionamento.
• Aquisição de automóvel para dinamizar a Fiscalização.

5. APOIO A ENTIDADES REPRESENTATIVAS DE CLASSE

• Realizar um trabalho conjunto com as entidades da classe de Enfermagem, reforçando a defesa da categoria dentro de sua área de atuação, objetivando o fortalecimento, a integração e o reconhecimento.

6. CRIAÇÃO DO INFORMATIVO DE ENFERMAGEM

• Utilizar o Informativo como canal de informação das atividades inerentes e desenvolvidas pelo COREN, proporcionando ao Profissional obter informações sobre as atividades do Conselho e notícias afins.

7. REALIZAÇÃO DE PALESTRAS, FÓRUNS E CONGRESSOS

• Promover e apoiar a realização de palestras, fóruns e congressos para aprimo-ramento e atualização dos Profissionais de Enfermagem.

8. REALIZAÇÃO SUBSIDIADA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

• Realizar parcerias com instituições do ensino superior, cursos de pós-graduação, com a redução do valor da mensalidade tornando acessível estes cursos aos Profissionais de Enfermagem.

9. TRANSPARÊNCIA

• Prestar contas de todas as ações do COREN, suas atividades, demonstrativos fiscais e financeiros, através do site/blog e do informativo.

10. FACILITAR A 1º INSCRIÇÃO E ANUIDADE

• Implantar mecanismos para a 1º inscrição e anuidade do profissional ainda sem emprego dentro dos preceitos legais.

12. CRIAÇÃO DE PLENÁRIAS ABERTAS

• Realizar Plenárias Abertas e Itinerantes para discutir assuntos sobre a categoria, dando início a Gestão Participativa no COREN-AM.

13. OUVIDORIA

• Atender os anseios da categoria e receber denúncias, críticas e sugestões que manterá os membros do Conselho sempre atualizados e atentos aos assuntos de interesse à classe.

14. FLEXIBILIDADE DE PAGAMENTO

• Facilitar o pagamento dos membros inadimplentes dentro dos preceitos legais.

15. COREN ON LINE

• Utilizar o site/blog do Conselho como importante canal de comunicação, capaz de Ratender os membros da categoria esclarecendo dúvidas, divulgando informações e abrindo espaço para críticas e sugestões.

16. CRIAÇÃO DE BOLSA DE EMPREGO PARA ENFERMAGEM

• Estabelecer parcerias com Instituições Governamentais e não Governamentais para inserção de profissionais no mercado de trabalho.

17. CRIAÇÃO DE UMA SALA APOIO PARA OS POFISSIONAIS DE ENFERMAGEM COM INTERNET, FAX E OUTROS RECURSOS.

18. OFERECER ASSESSORIA JURÍDICA AOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM.

Posted by Picasa

Hasta Siempre...

Darwinia Gallichio
l
Darwinia Gallichio murió esta mañana en la ciudad de Rosario

Para que otro blog mas???

Hasta Siempre...

Posted: 28 Nov 2008 10:06 AM CST


Te busca madre mientras su cuerpo es mecido
por el mar en el que se sumerge dormido.
Sueña tu abrazo, busca recuerdos,
a los que aferrarse para no conciliar el sueño.

El mar se inquieta, es tempestad, lamento.
¿Quién pudo lanzar mil ángeles desde el cielo?
Y oye tus gritos, blancos pañuelos,
cubren sus aguas, los trajo el viento.
Manda una ola para que se lleve a los traidores que sembraron tanta muerte.

Barcos y naúfragos oyen sus voces.
Les dicen "Nunca, nunca, olviden nuestros nombres".
Díle a las madres que en algún lado,
donde hace falta, seguimos luchando.

Madre, tu hijo no ha desaparecido.
Madre, que yo lo encontré andando contigo.
Lo veo en tus ojos, lo oígo en tu boca,
y en cada gesto tuyo me nombra.
Lo veo en mis luchas y me acompaña
entre las llamas de cada nueva batalla.

Guían mis manos sus manos fuertes,
hacia el futuro, hasta la victoria siempre.
Guían mis manos sus manos fuertes,
hacia el futuro, hasta la victoria siempre.
(Ismael Serrano)
Posted by Picasa

Seminário Estadual de Saúde Mental: o censo psicossocial e os desafios para a desinstitucionalização


Clique para ampliar
Nota do blog: No Brasil, em todos os lugares é grande o desafio em avançar a Reforma Psiquiátrica. Daí quando saltamos obstáculos, grande é a satisfação dos trabalhadores de saúde mental neles envolvidos. É caso de São Paulo, onde será realizado um seminário que se propõe a apresentar e discutir os resultados de um grande trabalho ali desenvolvido: O Censo Psicossocial dos moradores dos hospitais psiquiátricos do Estado de São Paulo.

Regina Bichaff é quem manda o recado: “Sem perder o rumo do que queremos, frente aos ataques dos opositores da Reforma, defenderemos o cuidado, a atenção psicossocial e a vida em liberdade para aqueles que historicamente se mantém excluídos das possibilidades de exercício de sua cidadania”. Boa sorte, Regina.


No Amazonas, está em curso o Censo da População Psiquiátrica. Para tanto, durante minha gestão na coordenação do Programa Estadual de Saúde Mental, conseguimos do Ministério da Saúde R$ 180.000,00 em 2007. Brevemente, os gestores de Manaus e de alguns municípios do Amazonas terão à disposição o perfil sócio-econômico e clínico dos usuários dos serviços públicos, e desta forma terão dimensionados os territórios que necessitam da implantação de Centros de Atenção Psicossocial. Misture a esse ingrediente um pouco de vontade política e poderemos caminhar para o fim no modelo de atenção baseado no hospital psiquiátrico e seus ambulatórios medicalizadores.

Um detalhe curioso: se tivessemos realizado um Seminário como o proposto em São Paulo, certamente não teríamos como resultado o Censo Psiquiátrico. É que aqui no Amazonas tem muito reformista de araque, sem senso, disposto mais a destruir o que se faz arduamente do que construir um caminho sólido para a substituição do modelo de atenção em Saúde Mental. Como diria o Macaco Simão: "Nóis sofre, mas nóis goza".


* * *


Seminário Estadual de Saúde Mental: o censo psicossocial e os desafios para a desinstitucionalização

17 e 18 de dezembro de 2008

IEP do Hospital Sírio Libanês


A institucionalização de pessoas com transtornos mentais em hospitais psiquiátricos constitui, na atualidade, um dos principais desafios da Reforma Psiquiátrica em curso no contexto do SUS. Frente a essa problemática, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo instituiu um Grupo de Trabalho, que utilizou a estratégia de realização de um censo psicossocial dos pacientes moradores em hospitais psiquiátricos do Estado de São Paulo, para a construção de propostas de desinstitucionalização dessas pessoas. Este seminário tem como objetivo promover a divulgação dos resultados desse trabalho para os gestores, trabalhadores de saúde e sociedade civil, com a finalidade de envolver e comprometer os vários atores no desencadeamento das ações necessárias para sanar a dívida histórica e social para com esses moradores, de modo a assegurar o cuidado e a reabilitação psicossocial, reafirmando o direito à moradia, ao exercício de cidadania e à inclusão social desses cidadãos.


Inscrições: de 28 de novembro a 10 de dezembro no site: www.saude.sp.gov.br
Posted by Picasa

Saúde Mental, o novo alvo do capital

Foto: Rogelio Casado - I Encontro de Saúde Mental - Belo Horizonte-MG, jul/2006

Nota do blog: Enquanto a grande mídia - exceções de praxe - abre espaços impressos e televisivos para os setores mais conservadores da Saúde Mental do Brasil (Federação Brasileira de Hospitais e seus satélites; Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul e outros), finalmente a mídia "progressista" abre suas páginas para os defensores da Reforma Psiquiátrica brasileira. Entretanto, às vezes essa mídia compra gato por lebre, como a revista Caros Amigos que abriu suas páginas para um reformista de araque de São Paulo, como contra-ponto do contraditório. Porém, tem mais. Seus entrevistados, no campo da saúde mental, geralmente habitam o eixo Rio-São Paulo. Que é isso, companheiros jornalistas! Tem vida inteligente fora desse eixo. Por exemplo, os personagens vistos na fotografia acima, sentados à mesa - Roberto Tykanori e Marcus Vinicius (o primeiro remanescente da mais rica experiência antimanicomial, promovida pela prefeitura de Santos, na primeira administração petista daquela cidade; o segundo, ex-vice-Presidente do Conselho Federal de Medicina, a mais combativa das entidades na luta por uma sociedade sem manicômios). Ambos participaram do I Encontro de Saúde Mental, realizado em BH, e animaram a festa dos 20 Anos de Luta Antimanicomial, celebrada em Bauru, em dezembro de 2007. À contribuição destes dois ilustres militantes antimanicomiais, some-se a das companheiras de uma das mais fecundas experiências contra a administração médica da vida: Ana Marta Lobosque, Miriam Abou-Yd e Rose Aparecida da Silva, de Belo Horizonte. Certamente tem mais gente na minha lista; mas, paro por aqui. Para começar, bastam esses cinco pesos-pesados da luta antimanicomial brasileira. Chega de figurinha carimbada. Temos outras vozes, muito mais e melhores. Atenção, senhores editores, é hora de dar uma dimensão nacional para a luta antimanicomial, para que os leitores possam fundamentar melhor suas opiniões.

Em tempo: Conheça o terceiro personagem da fotografia: Argenis Gimenez, mejor conocido como "El loco de la pancarta". Acesse
Protesta contra los siquiátricos

EDITORIAL

BRASIL DE FATO

Edição 300

24.11.2008

Saúde Mental, o novo alvo do capital

O mais novo alvo do capital no Brasil é a Saúde Mental. Uma campanha no sentido de pôr fim à política de desmanicomização, retomar a internação (confinamento) em hospícios, e de privatização deste setor da Saúde se intensificou nos últimos meses.


O primeiro sintoma neste sentido, foi a menção honrosa concedida pelo 30º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, em outubro passado, à reportagem "Sem hospícios morrem mais doentes mentais", da jornalista Soraya Agegge, publicada em duas páginas no jornal O Globo de 9 de dezembro de 2007. Um escândalo, que suscitou a reação de várias instituições e personalidades da área da Saúde Mental.

Os protestos contra
a menção honrosa

Em mensagem dirigida aos jornalistas responsáveis pelo Prêmio Herzog, doutor Paulo Amarante (professor pesquisador titular do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental Atenção Psicossocial, da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca – Fundação Oswaldo Cruz) afirma que "não há dúvidas de que é uma matéria claramente tendenciosa, que somente ouviu certos interessados na questão, estranhamente de duas páginas (...) sem nenhuma propaganda, dando a entender nitidamente que se trata de uma matéria paga. Os dados são manipulados e falsos. Seu objetivo é o de esvaziar exatamente a luta dos profissionais e familiares, e também os próprios usuários que lutam contra a violência institucional em psiquiatria neste país e que, neste ano, receberam a Medalha Chico Mendes de Direitos Humanos concedida pelo Grupo Tortura Nunca Mais". Em seguida, diz que "o objetivo implícito da matéria é o de defender os hospitais privados em psiquiatria".

Doutor Amarante prossegue exemplificando com dados a aprovação e elogios que o Brasil tem recebido dos organismos internacionais de Saúde, e lembrando a condenação que sofreu nosso país na Corte Interamericana de Direitos Humanos pela morte de um paciente – senhor Damião Ximenes, em um hospital psiquiátrico privado em Sobral (CE).

Saúde Mental,
Política e Mídia

Mas não pára no Prêmio Herzog a ofensiva junto aos meios de comunicação de massa (a grande mídia comercial) dos que lutam pela privatização desse setor.

Saúde Mental, Política e Mídia é o título do Seminário que será realizado em dezembro, no Rio. De acordo com o convite/release de seus organizadores, sua principal finalidade "é informar a mídia, profissionais e a sociedade sobre as conseqüências da política oficial de saúde mental no Brasil, baseada na reforma psiquiátrica de Franco Basaglia implantada originariamente na cidade de Trieste – Itália".
Ainda de acordo como convite, a "política oficial de saúde mental implementada no País desde 1995 (...) trouxe conseqüências dramáticas para população", entre as quais o "excesso de mortalidade de doentes mentais no Brasil (estatísticas DATASUS) relacionada à redução das internações psiquiátricas e leitos psiquiátricos; aumento extraordinário de benefícios por transtornos mentais e comportamentais (estatísticas INSS); crescimento dos casos de suicídios desproporcional ao aumento demográfico (estatísticas de trabalhos publicados); Explosão dos casos de violência envolvendo doentes mentais (registros jornalísticos de um modo geral)". Para arrematar, concluem os privatistas: "Estes registros são constatações de fatos estatísticos e notórios, portanto não há como refutá-los".

Irrefutáveis para
quem, cara-pálida?

A infalibilidade dos argumentos dos organizadores do seminário é um bom motivo para a troça. A manipulação das fontes é evidente. Citam o "excesso de mortalidade de doentes mentais" como uma suposta informação do Datasus, acrescentando que isto estaria relacionado à redução de internações e leitos, fazendo crer que tal relação é feita também pelo Datasus. Em seguida, atacam de INSS, a velha ladainha dos privatistas para destruir o sistema previdenciário. Sobre os casos de violência envolvendo doentes mentais, apresentam como fonte os "registros jornalísticos em geral". Sim, o "em geral" é sempre irrefutável... bem como os "registros jornalísticos".

Porém, o pior é quando se referem ao "crescimento de suicídios desproporcional ao aumento demográfico". Fazer essa Comparação, sem levar em conta fatores como as políticas econômicas e tecnológicas do período, é uma piada. Sim, nos últimos 20 anos, o índice de suicídios cresceu bastante e certamente a uma taxa superior ao crescimento demográfico. No entanto, este foi o período de uma política econômica somada a uma política de implantação de novas tecnologias que provocou um enorme desemprego. Diversas entidades sindicais e o próprio Dieese têm importantes estudos e pesquisas a respeito, onde fica clara a desestruturação familiar e individual de trabalhadores desempregados dos vários setores. Na metalurgia, por exemplo, são muitas as informações que podemos encontrar a este respeito nas publicações da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (ligada à CUT), especialmente do seu Programa Integrar (a partir de meados dos anos 1990).

Quanto à política de Saúde Mental implantada nas últimas décadas, com base no italiano Franco Basaglia, é fundamental explicitar: a desmanicomização não implica deixar os pacientes soltos nas ruas, ou sob responsabilidade exclusiva da família. Ao contrário, pressupõe a criação de diversos instrumentos, serviços e acompanhamento (todos de caráter público) do paciente e, muitas vezes até mesmo de atendimento da família.

Obviamente, tudo isto vai à contramão das premissas do Estado Mínimo propugnado pelos neoliberais, e dos interesses dos privatistas em geral que, há tempos, insistem em transformar a Saúde em um bom negócio.

Por fim, o release/convite, assinado pelos doutores Marival Severino da Costa (presidente da AFDM BRASIL) e Roberto Antunes (Coordenador do MDDM) se trai, ao informar que a "jornalista Soraya Agegge merecerá uma homenagem especial em razão da reportagem sobre assistência ao doente mental já reconhecida e premiada com a menção honrosa no 30º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos".

Posted by Picasa

novembro 28, 2008

Saúde Mental do Brasil

Foto: Rogelio Casado - Reunião do Colegiado de Coordenadores de Saúde Mental - Brasília, 2003
Nota do blog: Você que já conhece a versão da Federação Brasileira de Hospitais sobre a Saúde Mental no Brasil, através da cobertura sensacionalista da grande mídia (O Globo, Folha de São Paulo, Zero Hora etc.), conheça agora a versão oficial do Ministério da Saúde (Saúde Mental em Dados 5 - publicação virtual da Área Técnica de Saúde Mental do MS) no site www.saude.gov.br/bvs/saudemental. Esta última é mais fidedigna. faltando a versão dos movimentos sociais. A leitura da Federação está comprometida com o capital. A do Ministério, deixa de lado a visão do movimento social por uma sociedade sem manicômios. Esta última, que deu sustentação política para tudo que está aí, sintomaticamente, não é ouvida. Esqueceram de que é o movimento social - no frigir dos ovos - quem vai à luta ocupando os espaços públicos no enfrentamento ideológico contra aqueles que insistem em capturar e excluir a loucura do espaço político da cidadania. Um poeta da minha cidade - Aldísio Filgueiras - costuma dizer que, não raro, alguns militantes ao ocupar cargos públicos "emancipam-se" e esquecem suas origens. Por essa e por outras, torna-se cada vez mais urgente a realização da IV Conferência Nacional de Saúde Mental se quisermos deter o assanhamento dos contrários a uma nova habitação para a loucura.
Posted by Picasa

Sociedade de rede já ameaça o poder da indústria, defende ativista de Software Livre

Sociedade de rede já ameaça o poder da indústria, defende ativista de Software Livre

Por Brunna Rosa [Quinta-Feira, 27 de Novembro de 2008 às 20:13hs]

No debate sobre direitos autorais e propriedade industrial, os criadores e o público são o centro do debate, e não se pode desviar a atenção para os intermediários. A visão e de Marcelo D´Elia Branco é um histórico ativista do software livre no Brasil e atualmente é coordenador da Associação Softwarelivre.org.

Durante o Seminário Internacional sobre Direito Autoral, Marcelo concedeu esta entrevista para a Fórum, onde afirma que já vivemos uma sociedade de rede e que o país precisa de uma reforma na Lei de Direitos Autorais para legitimar e legalize práticas sociais importantes para o desenvolvimento e para a criatividade do nosso país.

Confira a entrevista. Acesse Revista Fórum
Posted by Picasa

Movimento dos Sem Universidade: seja educador voluntário

SEJA EDUCADOR(RA) VOLUNTÁRIO(A)

O MSU, Movimento dos Sem Universidade, está procurando Educadores/ras Populares para trabalharem em Pré-Vestibulares Populares de Belo Horizonte e Contagem (Jaqueline, Confisco, Centro, Pedreira, Alto Vera Cruz, Floramar, Petrolândia).

Fornecemos certificados das horas de trabalho e tem possibilidade de ajuda para transporte e hora/ aula (R$ 7 a 10 reais). Os/ as interessados/ as devem se inscrever através do e-mail: msuminas@gmail.com ou pelos telefones: 8896-6638, 8827-2961, ou 9745-2996.

WWW.MSU-MINAS. BLOGSPOT. COM
Posted by Picasa

Observatório da Imprensa mantém acordo Brasil-Vaticano em pauta

Lula e Bento
Mulheres de Olho

Observatório da Imprensa mantém acordo Brasil-Vaticano em pauta

Posted: 27 Nov 2008 12:54 PM CST

O programa Observatório da Imprensa n. 487, transmitido ao vivo no dia 25/11, e reprisado hoje, 27, de madrugada, foi sobre a assinatura do acordo Vaticano-Governo Lula. O texto introdutório apresentado pelo jornalista Alberto Dines, qualificou como “barriga coletiva” (quando o conjunto de veículos esconde uma informação) ou autocensura da imprensa, a ausência de análises sobre o conteúdo desse acordo, que “infringe o espírito e a letra da carta magna”.

Numa demonstração de coragem, o programa contribuiu para manter aceso o diálogo, quando o ambiente é de pesado e sintomático silêncio.

O programa foi introduzido por um vídeo que continha alguns dos aspectos apresentados aqui no blog, como a experiência nefasta do Rio de Janeiro com a lei de ensino religioso nas escolas, sancionada por Rosinha Garotinho, e a existência de acordos similares, como o que foi assinado em 2004, entre o Vaticano e o governo português.

Um dos debatedores foi o advogado da CNBB, Hugo Sarubbi Cysneiros, que defendeu o acordo minimizando as críticas ao caráter sigiloso, e ao aspecto de que o documento formaliza privilégios. Ele buscou no marco legal elementos para justificar que o Brasil é um estado laico, mas não pagão. Recorreu à citação de deus na introdução do texto constitucional, à menção ao ensino religioso -mesmo que não obrigatório- nas escolas, reafirmada na lei de Diretrizes e Bases, e à figura do casamento religioso presente no Código Civil. Cysneiros atribui qualquer diferencial no tratamento dado pelo Estado, comparativamente ao recebido por outras religiões, ao ‘detalhe’ de que o Vaticano tem status de estado-nação, o que lhe dá competência para assinar tratados dessa natureza. Quereria ele dizer com isto que, a pretender o mesmo tratamento, que busquem as outras religiões o mesmo status?

Também como debatedora, estava a coordenadora da área de Filosofia e Educação da Pós-Graduação em Educação da USP Roseli Fischmann, e o pastor da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, Guilhermino Silva da Cunha. Jornalistas de diversos veículos foram convidados, mas não aceitaram participar, como informou o âncora.

Fischmann apresentou sua visão de como –no alegado ambiente de violência em que vivemos- as escolas devem ensinar valores de respeito ao próximo e de cidadania sem recorrer a uma matriz religiosa. Ao contrário, para ela, impor uma matriz sobre outras tem um caráter excludente e gera ainda mais tensões na sociedade.

É preciso lembrar que cerca de 30%, ou mais, da população brasileira nada tem a ver com a Igreja católica, e que entre os outros 70% que se dizem católicos/as, muitos/as não seguem os preceitos e se posicionam contrariamente a sua hierarquia, em vários temas.
O pastor Silva da Cunha apontou criticamente os privilégios que beneficiam a Igreja católica, mas defendeu as concessões e/ou compra de espaços em rádio e televisão, de que evangélicos, como sua igreja, se beneficiam.

Para Dines os privilégios concedidos pelo estado brasileiro estão dos dois lados, seja sob a forma do acordo, como dessas concessões:

“… no lugar de seguir a constituição e estabelecer completa separação entre
estado e religião, o Brasil inventou uma forma original de administrar o
conflito religioso, oferecendo vantagens às confissões religiosas mais
poderosas”.

Uma evidência se anuncia: ou a sociedade se mobiliza para debater e expressar publicamente sua crítica sobre a inconstitucionalidade desse acordo, ponto por ponto, ou o processo no Congresso Nacional circulará em solo acolhedor para um desfecho final rumo à ratificação do retrocesso, possivelmente em meio ao confortável silêncio da mídia e do governo, quanto às reais questões em jogo nesse histórico episódio.

Síntese do programa pode ser lida no artigo Mídia se cala sobre o acordodo governo com a Santa Sé, de Lilia Diniz, no portal do Observatório da Imprensa.

Angela Freitas
Posted by Picasa

Prefeitura do Rio de Janeiro fecha o ateliê de modelagem do Museu de Imagens do Inconsciente

Nise da Silveira
PÉSSIMA NOTÍCIA

Na mesma semana que o Museu Oscar Niemeyer (Curitiba) inaugurava a exposição Nise da Silveira Caminhos de uma Psiquiatra Rebelde, onde são apresentadas 300 obras do acervo do Museu de Imagens do Inconsciente, a Prefeitura do Rio fechava o ateliê de modelagem do Museu, que vinha funcionando desde 1946, quando foi aberto pela psiquiatra fundadora do Museu.

O fato deu-se pela transferência do último funcionário que ali trabalhava, pela Coordenação de Saúde Mental (?!) da Prefeitura. E o Museu está localizado num Instituto que se chama Nise da Silveira! Há anos não tem contratações e o Museu já fechou diversos setores por falta de pessoal.

Este absurdo prejudicou ainda vários usuários que ali faziam sua terapia.

A sociedade brasileira fica mais empobrecida, e os usuários de saúde mental perdem uma importante parte de sua identidade cultural. A ciência perde um dos poucos lugares de pesquisa sobre a loucura. Nós perderemos as obras que não chegarão a ser criadas. Perdemos todos.

Não é à toa que a saúde é (ou foi) o setor mais criticado da administração do César Maia.

Divulgue esse fato.

Grupo Amigos da Nise
Posted by Picasa

Aprendiz de Homero

Nélida Piñon
* Aprendiz de Homero, de Nélida Piñon (Record, 2008, 368 págs.) ― Quatro anos após a publicação do romance Vozes do deserto, Nélida Piñon retornou às livrarias com uma notável obra de não-ficção; no caso, um conjunto de ensaios nos quais ela discorre, por meio de sua característica prosa poética, a um só tempo erudita, fluente e musical, sobre os cânones literários que a influenciaram como escritora e como ser humano, a começar pelo grande poeta épico grego que empresta o nome ao título do livro e é tema de um dos mais emocionantes textos entre os vinte e quatro que compõem a coletânea. Nele, Nélida ressalta a universalidade de Homero e a assídua presença dele no seu imaginário e cotidiano. Embora se coloque, desde o começo, como uma aprendiz , Nélida revela, mediante o itinerário do seu pensamento e das suas emoções, uma mestra; um referencial sólido e benfazejo para todos nós, numa época enferma onde o esvaziamento moral e intelectual, conjugado com o predomínio da vulgaridade e da ausência (ou inversão) de valores, parece dar as cartas. Os ensaios nos convocam, também a refletir de forma aprofundada, a partir dos livros, personagens e escritores que Nélida evoca, como a Bíblia; Cervantes e seus Dom Quixote, Sancho e Dulcinea; Machado de Assis; Carlos Fuentes; Gabriel García Márquez e os Buendía; Mario Vargas-Llosa; e, é claro, o próprio Homero. E, para completar, o livro ainda traz alguns dos discursos da escritora, como os proferidos em 2006, por ocasião da sua posse na Academia Brasileira de Filosofia, no Rio de Janeiro, e em 2005, durante a cerimônia de entrega do Prêmio Príncipe de Astúrias de Letras, em Oviedo, na Espanha. Este, intitulado "As memórias do mundo", é aberto de forma comovente, quando Nélida afirma: "Procedo do Brasil e reverencio a majestade da língua portuguesa. Neste idioma saúdo Deus e os homens". Aprendiz de Homero é, acima de tudo, uma celebração da literatura, da imaginação, da emoção e da riqueza da vida interior que acaba repercutindo num cotidiano fértil, prodigioso e aberto para todos os matizes da realidade, sem, contudo, abrir mão da necessidade do sonho.

Fonte: Digestivo Cultural
Posted by Picasa

Leia o Piauinauta

Meninas, meninos, moças e moços, senhores e senhoras: O PIAUINAUTA se coloca num tempo e num espaço, desejoso de fazer conato...

conto, ABOIO, lágrima, ter-te teresina de então, psicanálise, domésticas, GRAÇA e keula, LIMA barreto, a fé e OBAMA nas alturas com MIA COUTO.

click: http://piauinauta.blogspot.com/
Posted by Picasa

Denuncian el traslado de compañeros presos políticos del penal de Santa María Ixcotel.

Oaxaca de Juárez - Oaxaca-México

Nov 28, 2008

Denuncian el traslado de compañeros presos políticos del penal de Santa María Ixcotel.

Oaxaca de Juárez, Oaxaca, 27 de noviembre de2008

A todas las organizaciones, colectivos y personas de Oaxaca, México y elMundo.
A La Otra Campaña.
A los Organismos Nacionales e Internacionales de Derechos Humanos.
A los medios de comunicación.
A los Integrantes de la APPO.
A los simpatizantes de la APPO en México y en mundo.

ACCIÓN URGENTE, ANTE:

TRASLADO DE LOS COMPAÑEROS *PRESOS POLÍTICOS Y DE CONCIENCIA PEDRO CASTILLO ARAGÓN Y VÍCTOR HUGO MARTÍNEZ TOLEDO* DEL PENAL DE SANTA MARÍA IXCOTEL, OAXACA. SE TEME QUE SEAN TRASLADADOS A ALGUNA CÁRCEL DE MÁXIMA SEGURIDAD.

Solicitamos su intervención U R G E N T E ante el traslado de *PEDRO CASTILLO ARAGÓN *y de *VÍCTOR HUGO MARTINEZ TOLEDO,* (así como a otros 9 presos de los cuales desconocemos sus nombres) de la *PENITENCIARÍA CENTRAL DE SANTA MARÍA IXCOTEL, OAXACA* a un lugar hasta el momento desconocido el día de hoy 27 de Noviembre de 2008.

*REFERENTES:*
*PEDRO CASTILLO ARAGÓN* es integrante del Comité de Defensa Ciudadana (CODECI) organización integrante de la APPO y adherente a la otra campaña y forma parte del Comité de Presos Políticos de Santa María Ixcotel, Oaxaca. Estudiante de la carrera de leyes de la Facultad de Derecho de la Universidad Autónoma Benito Juarez de Oaxaca (UABJO). Es Originario de San Pedro Ozolotepec, Miahuatlán, Oaxaca, tiene 31 años y esta preso desde el año 2002 debido a su apoyo y activismo como asesoren el movimiento Indígena en Oaxaca.

*VÍCTOR HUGO MARTINEZ TOLEDO: *Integrante de la Asamblea Popular de LosPueblos de Oaxaca (APPO), detenido desde el 3 de noviembre de 2006. Participante activo del movimiento popular oaxaqueño.

*HECHOS:*

En un operativo policiaco sorpresa, coordinado por autoridades estatales y federales, así como sus respectivas policías, al parecer, bajo el mando Alan Loren Peña Arqueta, director de la Agencia Estatal de Investigaciones de Oaxaca AEIO, desde muy temprana hora de este día realizaron un operativo de cateo en las instalaciones de dicha penitenciaría, donde se encuentran injustamente presos nuestros compañeros luchadores sociales.

Medios de comunicación oficiales señalan que en un avión de la PFP con numero de serie XC-OPF, fueron trasladadas estas 11 personas. Hasta el momento los familiares y amigos desconocemos el lugar al cual fueron llevados, las razones verdaderas de su traslado, así como su estado físico y emocional.

Las autoridades responsables del operativo no han hecho pública ninguna versión oficial que aclare las razones del traslado de nuestros compañeros, los nombres de los otros 9 detenidos y tampoco ha aclarado las razones del operativo y cateo en esta penitenciaría.

En estos momentos en los cuales no existe información que aclare la situación de nuestros compañeros, se teme de algún traslado a cárceles de máxima seguridad.

*LLAMADO:*

A estar pendientes de la situación de nuestros compañeros presos políticos. Pues nos queda claro que esta acción responde solamente a motivos políticos para seguir reprimiendo y desgastando física y moralmente al movimiento popular de Oaxaca que exige justicia y libertad para sus presos políticos.

Estamos seguros que este operativo responde solamente a dar un golpe al movimiento de Oaxaca ante los pasos que sigue dando en la construcción de otro Oaxaca.

Respetuosamente pedimos a quienes llegue este mensaje a pronunciarse por la presentación inmediata de nuestros presos y en contra de algún traslado a cárceles de máxima seguridad, así como a difundir las verdaderas razones políticas de estos hechos.

Responsabilizamos al mal gobierno de Ulises Ruíz Ortíz, al gobierno federal de Felipe Calderón y a los mandos policiacos, de la integridad de nuestros compañeros. Ninguna acción podrá parar la lucha por la libertad y justicia que ha iniciado el pueblo oaxaqueño.

¡Exigimos un ALTO A la criminalización de los luchadores sociales que actualmente se encuentran presos!.
¡Basta de la represión generalizada en contra del movimiento del pueblo de Oaxaca!
¡Alto al terrorismo de estado!

Comité de Presos Políticos de Santa María Ixcotel
Comité de Defensa Ciudadana (CODECI)
Voces Oaxaqueñas Construyendo Autonomía y Libertad (VOCAL)

Fonte: Enlace Zapatista

Posted by Picasa

Exercício para escrever como Santayanna n.1

Serra

Oleo do Diabo

Exercício para escrever como Santayanna n.1

Posted: 27 Nov 2008 02:26 PM PST

Por Miguel do Rosário

Tenho procurado ser elegante. Realizar uma crônica política culta, irônica, e, valendo-me de minha privilegiada posição de blogueiro independente, tornar-me um sereno e temido crítico da imprensa corporativa. Meu ídolo é Mauro Santayanna. Há momentos, porém, em que o sangue ferve e meu natural nervosismo tropical torna difícil manter a fleuma britânica que tenho me imposto. Hoje está sendo assim. A divulgação dos números de emprego e dívida pública para outubro comprovam que a mídia, mais uma vez, jogou contra o país. A taxa de emprego aumentou em todos os setores, em plena crise! A divida pública caiu fortemente, em função da valorização do dólar. O Brasil está crescendo na crise!

Minha irritação aumenta quando eu percebo que os poucos empresários que vem reduzindo investimentos e demitindo, o fazem não por observarem queda em demanda, mas por estarem "menos confiantes". Ou seja, a mídia tem conseguido envenenar a atmosfera nas altas rodas industriais. E ainda quero evitar um outro pensamento, incômodo, insuportável, de que as elites poderiam se mancomunar para forçar uma recessão econômica no país, com vistas à facilitar a ascenção política da oposição.

Ontem, Miriam Leitão e Merval Pereira entrevistaram a mesma fonte: Armínio Fraga, títere tucano, gerente de campanha do Gabeira, ex-presidente do BC numa época em que os juros chegaram a quase 50% ao ano e o Brasil se vergava a crises ocorridas em qualquer ilha do Pacífico. Fraga, assim como outros de sua laia (olha a fleuma indo pro espaço...), não procuram tranquilizar a opinião pública, não procuram apontar caminhos pelos quais o Brasil, assentado em poderosos e quase inesgotáveis recursos naturais, poderá atravessar a crise financeira mundial sentindo apenas a sua "marolinha" batendo-lhe suavemente no rosto. Não, ele quer apavorar. A crise financeira foi agarrada pelo chifre, assim como foi a febre amarela, o cartão corporativo, o dossiê, o escambal, para ser manipulada politicamente.

É um jogo perigoso, todavia. Os donos da mídia, isolados em seus coquetéis, em suas mansões, em suas viagens internacionais, não percebem a mudança profunda já ocorrida na opinião pública brasileira. A internet enfiou uma faca no tórax do porco, e o bicho grita grita e grita. As pesquisas de opinião revelam o desprestígio crescente da imprensa. Ainda existe muita gente, na classe média, pendurada nas opiniões pré-fabricadas da mídia. Mas essas pessoas se vêem cada vez mais perplexas e confusas diante da realidade. A América Latina foi inteiramente colorida de vermelho, restando apenas um país, Colômbia, governado pela direita. E seu presidente Uribe, é acusado pela justiça federal de seu próprio país, de aliar-se ao narcotráfico e ao paramilitarismo.

E agora, causando uma reviravolta geopolítica no continente, um negro de esquerda assume o poder nos Estados Unidos. Um negro que prometeu dialogar com Chávez e romper o bloqueio à Cuba. Um negro que já revelou sua afinidade com o Brasil. Os segmentos mais americanizados da classe média brasileira assistem, confusos, os EUA se abrasileirarem! Os frutos da vitória de Obama ainda reverberarão por muito tempo, até porque encontram agora terreno propício, em nossa América morena e democrática, para germinarem, crescerem e se multiplicarem.

Naturalmente, a política tem seus mistérios, assim como a história, mas é evidente que as chances de José Serra se reduziram com a vitória de Obama. Serra representa a ala mais conservadora do PSDB, mais ligada ao DEM, a segmentos da opinião pública extremamanente reacionários. Serra esteve presente ao lançamento do livro "País dos Petralhas", de Reinaldo Azevedo, ícone maior da extrema-direita nacional, que havia tratado Obama com escárnio e racismo. Azevedo estava entre os que desacreditavam totalmente da possiblidade de vitória de Obama. Como é possível? Os EUA, um país de direita? De brancos? Votar num negro? Um senador democrata com o maior histórico de votações à esquerda do Congresso? Pois é. Obama ganhou e agora a base ideológica que sustenta os sonhos de Serra à presidência recebeu um duro golpe.

Sem contar que a administração Serra tem sido desastrosa. Ele consegue a proeza de, em meio a um crescimento econômico sem igual na história recente brasileira, realizar uma gestão retrógrada e incompetente, em que seus secretários de Estado, em vez de governarem, ficam batendo boca com seus próprios médicos e policiais, em praça pública.

Os professores de SP ganham mal. Os policiais ganham mal. Os médicos ganham mal. Está certo que, a nível federal, ainda existem médicos que ganham mal, mas o governo, ao menos, tem consciência disso e não vai para o jornal procurar humilhar seus próprios funcionários, como fez um secretário de Serra, que debochou do médico Davi de Lacerda, afirmando, em carta enviada ao jornal Folha de SP, que ele havia dito "gabolices sobre sua formação no exterior, do tipo ´venci nos EUA´". Ora, que mesquinhez! Em primeiro lugar, isso é abuso de poder! Um secretário de Estado não pode usar o seu cargo e seu poder para tentar humilhar um médico profissional. Poderia ter respondido ao artigo de maneira protocolar, educada, mas não usando esse tom jocoso, desrespeitoso.

Enfim, chega. Já perdi as estribeiras. Termino com meu lema. Delenda Serra.

Acesse www.oleododiabo.blogspot.com
Posted by Picasa

novembro 27, 2008

Sitio Lacanian Psychoanalysis

Jacques-Marie Emile Lacan - 1901-1981
El Correo de la Comunidad
CONTENIDOS, SERVICIOS Y NOTICIAS DE LA
COMUNIDAD RUSSELL
27 de noviembre de 2008


Estimados colegas y amigos:

Decíamos, en el Boletín del 31 de octubre pasado, que con el sitio Lacanian Psychoanalysis queríamos llegar lejos.

Pensamos que vamos por buen camino, ya que entre el 1º de octubre y el 25 de noviembre de este año, nuestro sitio ha recibido numerosas visitas provenientes no sólo de países angloparlantes, sino de muchos otros que -como nosotros mismos- utilizan el inglés para comunicarse internacionalmente.

La información sobre los accesos -proporcionada por Google a través de su servicio Google Analytics (http://www.google.com/analytics/es-ES/)-)- conforma una larga e interesante lista de países que nos complace compartir con ustedes y que es motivo de satisfacción para nosotros, porque demuestra que el psicoanálisis -especialmente el psicoanálisis lacaniano- se hace presente, en idioma inglés y mediante Internet, en prácticamente todo el mundo.

En dos meses de funcionamiento nos han visitado desde: Alemania - Australia - Austria - Argentina - Bélgica - Bolivia - Bosnia Herzegovina - Brasil - Canadá - Colombia - Corea del Sur - Costa Rica - Chile - China - Chipre - Egipto - El Salvador - España - Estados Unidos de Norteamérica - Filipinas - Francia - Georgia - Guatemala - India - Indonesia - Irán - Irlanda - Israel - Italia - México - Nepal - Paraguay - Perú - Polonia - Portugal - Puerto Rico - Reino Unido - Rusia - Slovenia - Sudáfrica - Suecia - Taiwan - Turquía - Uruguay y Venezuela.

Los invitamos a participar de este proyecto, visitando ustedes mismos e invitando a sus colegas y amigos de todo el mundo a visitar nuestro sitio, en: http://www.lacanian-psychoanalysis.com/

Con mucho gusto recibiremos vuestras contribuciones, para cuyo envío encontrarán información en:
http://www.lacanian-psychoanalysis.com/template.asp?contents/call_for_contributions.html

Beatriz Bacco, Editorial Director
Jorge Bekerman, Editor-in-Chief
27 de noviembre de 2008

El Correo de la Comunidad Virtual Russell
Boletín electrónico
Archivo de boletines anteriores: click aquí
Edición de los miércoles:
contenidos, servicios y noticias de la Comunidad Russell
Edición de los sábados:
Boletín R: información sobre anuncios y eventos
Permitida la libre difusión citando la fuente
Editor responsable:
Jorge Bekerman
Perón 1730, 14º 120(1037) Buenos Aires - República Argentina
Posted by Picasa

Anibal Beça, ou de como as folhas da selva encobrem a poesia

Amigo, veja só a bondade do poeta Carlos Nejar com a minha fatura poética. Chega bem na hora, e à propósito, do lançamento do volume "Palavra parelha", 400 p, que abriga ainda os livros "Cinza dos minutos", "Chuva de fogo", "Lâmina aguda" e "Cantata de cabeceira".

Como em "Banda de asa", reúno novamente cinco livros. Mais a la recherche du temps perdu, e de me conceder maior tempo, uma vez que nesses 5 anos me dediquei, como presidente do Fundo Municipal de Cultura, à causa coletiva. Chegou a hora de tratar das minhas coisas O prefácio, que eu diria: " um belo ensaio", é da poeta e constista Astrid Cabral.

Pretendo lançá-lo em dezembro, lá pelo dia 15, em noite de autógrafo. Gostaria de contar com sua presença.

Abraço grande

Anibal

* * *
ANIBAL BEÇA, OU DE COMO AS FOLHAS DA SELVA ENCOBREM A POESIA

Aníbal Beça, poeta da Amazônia, sob quem nutre a raiz da fecundidade, capaz de trabalhar com habilidade na arte poética em todas as formas, desde o soneto ao haicai, tem vocação genesíaca. Talvez a vocação generosa de sua terra, talvez a vontade tão absoluta ou imperiosa de se exprimir, a ponto de a linguagem ser metamorfose, que não é propriedade ovidiana e sim, propriedade de abismo.

A variedade dos seus ritmos e imagens se mescla à variedade de um mundo que exige sempre mostrar a indefinível face. E qual a face ? São muitas e nenhuma, pois a linguagem se disfarça e toma muitas vozes para preencher a espessura do silêncio. E a espessura do silêncio é por onde a palavra nos vê ou assombra.

Há, por vezes, certo preconceito com a fecundidade, mormente num tempo de raquitismo criador, juntando a impotência à inveja, a pequena obra como grande proeza, desde que nasça de tempo. A verdadeira proeza é a mescla de qualidade e invenção não importando o tempo que a produziu. E é inegável a visão peculiar de Aníbal Beça, a multiplicidade dos ritmos e das formas, o que vislumbrava William Blake em um de seus provérbios: "A exuberância é beleza".

Há que haver na criação o espaço societário e respeitoso entre os poetas do menos e os poetas do mais, descabendo a mera avaliação daqueles em oposição a esses, quando todos se completam, conforme sua própria natureza e respiração do pensamento. O bosque deve conviver, harmoniosamente, com a floresta, ou vice-versa, porque ambos são importantes para o universo vivo.

Essa avidez de chama, avidez de refinamento da palavra, a avidez do ludus que persegue musicalmente a lógica, ou deixa-se arrebatar por ela, a favor do tempo do poema, a avidez de dizer ou bradar a existência das coisas, como se elas não pudessem repousar , a avidez de tudo cobrir com palavra, ou de a palavra não se calar nunca, faz com que admiremos, comovidos, esta sinfônica poética de signos e sonhos. Sobretudo, pela maneira operosa com que, ao ser lida e nos lendo, também nos descobre.

Casa do Vento, Urca, Rio, 27 de novembro-2008.
Carlos Nejar – da Academia Brasileira de Letras.
Posted by Picasa